Matéria do leitor: (des)Aventura

Estamos iniciando mais uma seção (das milhares que temos e já esquecemos boa parte) chamada de Matéria do leitor. Acho que não precisa explicar, né? Quer mandar uma matéria que você acha que vai ser interessante? Entre em contato conosco (os endereços estão aqui) via e-mail ou msn e mande seu texto. Claro que não vamos postar todo e qualquer texto que vocês enviarem (porque nós somos maus), mas pensaremos com carinho em cada um de vocês (ou não, depende do caso). Então vamos lá.

(des)Aventura

 Desde a primeira vez em que me deparei com aqueles “píxeis” bonitões de Mario (aquele do armário? Não) minha vida tomou um novo rumo: pude entender o verdadeiro significado da palavra aventura e o verbo aventurar-se ((aventurar-se é verbo agora, tá?)) ultrapassou a barreira do bigode sexy e do chapéu característico. Em suma, o game Mario foi apenas o primeiro de muitos outros games de aventura que seguiriam o mesmo padrão: pule na cabeça da centopéia até ela morrer esmagada pela força gravitacional: CHOCANTE! Exemplo: Donkey Kong, Era incrível ver um macaco de um grama chutar um jacaré fedorento para fora do cenário com apenas uma pisada.

 Os anos então se passaram e eu percebi que pular nos monstros como se tais fossem trampolins perdera um pouco do charme, mas por tempos eu me adaptei à isso… Quando para o mundo não havia mais esperanças e os games encontravam-se ameaçados pela onda Doom nos pcs surgiu Mega man, um moçoilo azul de olhos nipônicos meio pirata, mas ao invés do gancho ele possuía um canhão tesudo na mão, confesso que na primeira fase eu insistia em pular na cabeça dos primeiros inimigos (aqueles de chapeuzinho laranja que se assemelham muito com o Goomba) mas logo que entendi o mecanismo de jogo eu gamei: simples e cativante, segure o botão de tiro para aumentar o poder de ataque,  pule para desviar dos inimigos… Eu senti que pela primeira vez os games de aventura haviam dado um passo de grande proporção universal no sentido de desenvolvimento gamístico colossal (exagero?).


(arte do leitor): Goomba sendo esmagado por seu possível plágio

 Novamente, os tempos passaram, chegou o “pleistátioum” e a moçada delirou com games charmosos em 3D com tiros catastróficos e muita ficção científica: digo que as coisas, apesar da evolução, perderam o charme; não havia mais inovação e sim esbanjamento tecnológico: para matar o inimigo não é necessário um cérebro e muito menos habilidade, basta ter a habilidade especial Chamas do Inferno Colossal das Sete Chaves de Ouro Sanguinolentas de Adão (não, este não é um poder de “Cavaleiros do Zodíaco”)… Digo ainda que não demorou muito para que eu desistisse de esperar e instalasse novamente meu SNES para me divertir de verdade. Os gráficos não eram tão requintados mas tinham seu charme e a diversão, assim como o fator replay, eram imensamente maiores.

 Finalmente, na nova geração encontrei diversos jogos bons (de verdade), que além da aventurar permitem ao jogador viajar por todo o mundo em tempo real, um exemplo é Elder Scrolls IV: OBLIVION e GTA, gráficos estonteantes, combates repletos de tiros e sangue, adrenalina, objetivos inteligentes e uma história subdividida em milhares, legal. Mas… Diz aí, quem não sente falta de entrar pelo tubo do Mário? Opa.
<!–[if !supportLineBreakNewLine]–>
<!–[endif]–>

Nota: Daisuki Tuelha-Chan
Por Ahiru-Sama

Mande sua matéria também. Não prometemos deixar de apedrejá-lo em praça pública se o texto não for de nosso agrado, mas faremos o possível para que isso não ocorra. Talvez.

2 respostas para Matéria do leitor: (des)Aventura

  1. Lucas disse:

    Quando eu tinha um SNES eu babava pelo playstation… tava cansado de side-scrollers, e aqueles gráficos me deixavam de boca aberta. Quase comprei um Saturn (?) na época, o que infelizmente não aconteceu:/

    Mas não dá pra negar que esse estilo de jogo é imortal e sempre garante boas horas de diversão. =D~
    Até eu já tentei pular na cabeça dos outros com o Megaman…

  2. Sardo disse:

    Hahahahahaha!
    E eu achava que só eu havia sido tão tapado a ponto de pular na cabeça dos inimigos em MegaMan. Pelo que vejo, não sou tão tapado assim. ^^

    Mas se bobiar, até hoje faço isso. Sem querer, claro. E depois vejo que só atirando pra matá-los. \o\

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: