Duas horas de No More Heroes (spoilers)

Tudo bem, confesso, não aguentei esperar pra comprar a versão americana e estou jogando a japonesa. Inicialmente, queria apenas “ver como era” o game, mas agora estou tão vidrado que qualquer tentativa de levar isso a cabo será inútil. Pois bem…

Travis Touchdown, o protagonista

…o que dizer? No More Heroes é ANIMAL. Tem um pouco dos Part-time Jobs de Shenmue, mais as diferentes roupas e o sistema Grand Theft Auto de andar por uma cidade e explorá-la livremente, mais o clássico estilão “Detone um monte de gente e prossiga até encontrar o chefe”, mais um jeitão “cool”, bônus, power-ups e “pixel-art” em todo canto da tela. E é um dos poucos jogos com humor adulto do Wii até agora, creio.

Quando você liga o jogo pela primeira vez surge uma tela de “Press the A Button”. Após isso você anda com Travis até a sua “moto” para que a abertura do jogo se inicie. É, aquela mesma que você provavelmente viu no Youtube, em que o Travis conta a história do jogo (o leilão onde ele conseguiu a Beam “Lightsaber” Katana, por que resolveu virar assassino, o objetivo de ser o Número 1 dentro da Assossiação, etc…) de uma forma tão rápida que é até difícil acompanhar. Tudo dublado em inglês e com um voice acting do cacete. O engraçado é que ele o desafia no final da abertura (“And for you holding the Wii Remote right now…”); HAHA.

Então, você invade a mansão do Assassino número 10, um tal de Death Metal, acho. Começa com um tutorial das técnicas de luta em japonês (que graças a deus dá pra pular…), para que então você possa partir pra matança. A jogabilidade é bem funcional e simples. Com a espada, você tem basicamente golpes altos, baixos, e finalizações. Apontando o Wiimote para cima ou para baixo, você define a posição em que Travis segura a espada (como o Baseball do Wii Sports), dá espadadas altas ou baixas nos inimigos com o botão A e finaliza com o movimento do Wiimote indicado na tela. Um pouco além do básico, tem os socos e chutes, que podem provocar “Stun” nos inimigos e deixá-los vulneráveis a “agarrões”; uma vez agarrados, basta fazer o movimento indicado com o Nunchuk e o Wiimote para causar um grande dano. Finalmente, o botão Z trava a mira e aciona a defesa, enquanto o C centraliza a câmera (com uma piscada que incomoda no começo). Sem contar que de vez em quando você tem que recarregar a Beam Katana, apertando 1 e fazendo movimentos masturbatórios com o Wiimote.

Travis

Dentro das missões o jogo é bastante linear. Praticamente um Final Fight. Antes do chefe, Sylvia (a gostosona do game) liga pro Travis no celular pra dar uns toques; o mais legal é que você ouve a voz dela no Wiimote, como se ele fosse o celular mesmo. Já vi isso no Wario Ware e no Big Brain Academy, mas ainda assim, achei genial! HAHAHAH!
Então você finalmente se encontra com o chefe, e após um diálogo hilário (o Travis é uma figuraça) a luta começa.

Na cidade, inicialmente, você pode visitar uma espécie de “agência de assassinatos”, uma agência de part-time jobs e o “No More Heroes Motel” onde Travis vive, sendo que à medida que você avança, vão surgindo novos lugares como a loja de vídeos, a loja de roupas, a academia, etc… há vários itens escondidos pela cidade como camisetas e umas bolas cuja função ainda estou para descobrir.😄
Você deve conseguir dinheiro de alguma forma para pagar à Agência por informações sobre o Top Ten de assassinos (e para comprar outras coisas também) para finalmente ir atrás deles.

O apartamento do Travis é show de bola. Tem o banheiro onde você salva (outra coisa engraçadíssima e genial, aliás – quando você liga o jogo com um save de NMH na memória do Wii, é só apertar o A pro Travis levantar da privada e continuar imediatamente de onde parou), a TV onde você pode ver vídeos e clipes de bandas reais (compráveis na loja, imagino eu) e o quarto, com o armário pra trocar de roupa e tal (destravei uma camiseta do Brasil, inclusive!).

Graficamente, o jogo é cool. Estiloso, legal e tals, mas um pouco feio por falta de detalhes em alguns cenários. O contraste é MUITO forte (propositalmente, eu creio), e os personagens estão ótimos! Putz, as cutscenes são demais; muito bem feitas e engraçadas (“If I become Number One, will you do it with me?” “Maybe, maybe not.” “Aww, c’mon! Just once!”) e os lábios estão bem sincronizados com a fala. O principal problema nos gráficos é a queda de framerate (não a “parada” proposital quando você acerta uma espadada), bem perceptível até mesmo quando quase não há nada na tela. O som é ótimo; com o Speaker do Wiimote emitindo sons durante a luta, na recarga de eletricidade da Beam Katana (inclusive ele bipa e “falha” quando a energia tá baixa), e até fingindo que é celular. As músicas são boas. Nos estágios tem aquela puta música envolvente que você ouviu tocar nos vídeos do Youtube; ela dá uma empolgação desgraçada. O problema é que a música toca em TODOS os estágios (pelo menos até onde joguei) e é bem repetitiva por si só. Ainda bem que é boa… a que enche o saco de verdade é a que toca quando você sobe na moto pra explorar a cidade. Na boa, dá até um alívio quando você desmonta. Mas ainda dá pra relevar. ^^

Minha conclusão depois dessas horinhas iniciais?
PUTA QUE PARIU, VELHO! NO MORE HEROES ROX!!

Mal posso esperar pela “versão violenta”!😀

7 respostas para Duas horas de No More Heroes (spoilers)

  1. Eddie disse:

    Ahhh caralho, agora eu quero jogar isso! xD

    Mas meu, depois de jogar o Killer 7 era de se esperar cenas de humor que nem as que vc descreveu.

    Mas porra, assim vc ta me provocando pra que eu volte logo pra J-ville. xD

    Abraço

  2. Arthas disse:

    Bacana! Pena que não deu pra ver nada direito na casa do Youta =(
    mas tomara que possa conferir logo!
    E, que bom que o jogo é bom né!😄

  3. c0rreia disse:

    Hahahaha! Eu não consigo jogar jogos em JAP cara, não adianta, eu nem arrisco.

    Parabéns pelo blog, tá nota 10!

  4. Youta disse:

    Jogos em japonês são um desafio do inferno, nem me fala. Ainda quero recuperar meu Ace Combat 3 pra PSone que apesar de eu não entender porra nenhuma da história, é um jogo lindo!

    E vamo nos reunir pra jogar qualquer hora =D

  5. Sardo disse:

    Bom, só comento depois de jogar. xD~

    Seu spoiler da porra.. =P

  6. Natalia disse:

    Tô pra enfrentar o assassino #2
    Imagino que as bolas que vc esteja falando servem pra entregar pra um carinha num bar, que só abre depois de um certo tempo, fica até no mesmo quarteirão que a academia.

  7. Lucas disse:

    Isso! Eu acabei achando esse cara e entregando pra ele, só que não sabia de que adiantava. Aí vi na internet que era pra ganhar habilidades como a de correr ou de enxergar inimigos no mapa (o que é bem útil)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: